Opinião
Tendência

Parabéns Anitta, mas não, obrigada

Parabéns para Anitta por chegar ao topo do Spotify. Sabemos que ela é uma mulher extremamente batalhadora, com ótimo faro para o sucesso comercial. Minha admiração começa e termina aí.

Não consigo gostar de suas músicas. Também não consigo bater no peito e dizer “nossa que orgulho, ela é brasileira como eu!” pois não vejo valor no conteúdo que ela produz, por mais sucesso que faça. Tampouco consigo comemorar que Anitta seja a inspiração das meninas adolescentes de hoje. Pelo contrário, acho que seja um péssimo exemplo a essa geração.

A música e o clip em questão são de uma vulgaridade sem tamanho. O vídeo se resume a 3 minutos da rainha feminista demonstrando como excitar um homem, utilizando-se de suas nádegas, que ficam amplamente expostas a quem quiser conhecê-las no detalhe.

Não tenho filha mulher, mas se tivesse, tentaria ensinar-lhe a se valorizar, física e intelectualmente, impor respeito e saber ser sensual quando quiser, sem ser vulgar. Mas tenho 3 filhos homens. Tento lhes ensinar que respeitem e valorizem as mulheres e que o envolvimento quando inclui corpo, alma e mente é muito mais significativo e prazeroso para ambos. Músicas como as de Anitta, onde as mulheres se tratam como mero objeto de prazer tornam minha mensagem um tanto conflitante. Em outras palavras, como dizem os meninos dessa geração, estamos “bugando” a cabeça deles, que deve estar girando mais ou menos assim:
-Meus pais me dizem para tratar as mulheres com respeito, e valorizá-las. Enquanto isso, as meninas estão rebolando a bunda na minha cara ao som de “me chama de vagabunda” “me dá um tapa” e “te faço gozar em 5 minutos”.

Na prática, as que se dizem feministas hoje estão dificultando a vida de quem quer educar a atual geração de forma que meninas se deem o devido valor e rapazes as tratem com mais respeito do que tratavam em gerações anteriores.

Desculpa Anitta, mas não consigo te agradecer por isso.

Também não jogarei a culpa toda em cima da Anitta. Ela é esperta, viu uma oportunidade e não tem o menor pudor em se expor de forma vulgar, assim como tantas outras artistas no Brasil e no mundo. Não tenhamos síndrome de vira lata, desdenhando de um produto ou pessoa só porque é “made in Brazil”. O assunto da Anitta veio à tona por aqui agora pelo motivo óbvio dela ser brasileira, mas a vulgaridade e objetificação da mulher na música não é nem de longe exclusividade de artistas brasileiras.

Por fim, há milhões de mulheres que realmente estão sendo maltratadas mundo afora e precisando desesperadamente de alguém que lute por elas. Exemplos não faltam: na Arábia Saudita mulheres não podem abrir uma conta bancária ou obter passaporte sem um responsável homem, na Somália meninas ainda sofrem mutilação genital, na Índia o tráfico e escravização de mulheres vem crescendo ano a ano e no Brasil, uma mulher é estuprada a cada 10 minutos.

Enquanto isso, o movimento feminista parece estar em busca do “direito” das mulheres se vulgarizarem. Posso ser antiquada, mas isso não me parece uma grande conquista dessa geração.

Então mais uma vez, parabéns Anitta, pelo sucesso, mas não, obrigada.

Tatiana Poroger


Tatiana Poroger

Paulistana, graduada em administração de empresas pela Pace University NY, trabalhou no mercado financeiro, em gestão de educação e na área comercial, até se descobrir no marketing digital, onde atua até hoje. É também ativista política, colaboradora do Ranking dos Políticos, além de curiosa e palpiteira.

Artigos relacionados

41 Comentários

  1. Como estou de gancho do Facebook mais uma vez, vou parabenizar a Tatiana aqui mesmo.
    Sou casado e apaixonado por uma mulher inteligente e batalhadora, feminista naturalmente, sem ser panfletária e chata.
    Assim, não consigo ver que a “obra” de Anitta traga alguma coisa boa para as mulheres.
    Quanto a ela ser um mulher de negócios com faro, tenho também reservas, dado a forma como ela “chegou lá”…
    Acho que é parte de ser bom empresário produzir algo que realmente ajude o desenvolvimento da cultura e da sociedade.

    1. Perfeito! Na verdade, acredito que podemos fazer grandes e significativas conquistas, mas sem apelar para aquilo que não nos dignifica como seres humanos! Se Anita fosse, realmente, uma visionaria nos negocios, uma expert, não usaria a sexualidade desta forma, tão vulgar e ofensiva, pois denigre a imagem da mulher e o seu proprio expertisse pros negócios, pois não concordo que o seu faro comercial a ajudou, mas sim a exposição sexual de um corpo para um mundo desejoso e carente de tudo que excede o convencional!

  2. Achei o artigo excelente.
    Faço uma única observação: no texto há uma citação ao “tráfego” de mulheres na Índia. De fato é tráfico.
    De resto, parabéns pelo conteúdo, ao qual me alinho por completo, como viúvo, avô e pai.

  3. Parabéns pelo artigo, Tatiana! E grata por compilar em sábias palavras o que também penso sobre a Anitta, parabéns a ela, mas não me representa.

  4. E vcs acham a Anita bonitinha ? Onde? Só se for lá porque ela mandou tatuar, que isso onde estamos, um cara estuda durante seis anos só na graduação, batalha pra fazer uma Residencia, estuda pra caramba, mestrado doutorado, e aí vem ( pra mim ) uma feiosa dessa e mostra a bunda e os babacas e as babacas ficam todos doidos, inversão total de valores, não sabe nem falar, com o densitômetros que os trouxas deram pra ela até o marquito ficaria bonito, e eu acho ele lindo, por dentro que o mais importante, sem comparação com esse lixo de exemplo que está aí.
    Da até 🤮 🤮 nojo

  5. Sinto um certo recalque. Se ela gosta de mostrar as nadegas, qual é o problema? Todos os dias vejo nadegas nas praias de todo o Brasil.
    Essa opinião simplista, que me parece de uma pessoa com nadegas feias, soa como recalque dos brabos.
    Deixa a menina voar. Palmas para ela.
    Em tempo, naoesei o nome de uma musica da Anitta sequer, porém, a mim ela não faz mal, muito menos a minha família.

    1. Sempre usei fio dental e tenho nadegas bonitas. Isso não esta atrelado a vulgaridade e sim costumes de cada lugar. As letras são terriveis meu caro e a coreografia é bem apelativa. Nem toda mulher que tem o corpo bonito usa dessa linguagem xula…

      Se você gosta guarde pra você mas não fique associando ser ou não ser bonita ao comentário das mulheres que se sentem mal representadas pela cantora. Você foi indelicado, grosseiro e machista e adentrou num lugar de fala que não te pertence. É homem. O comentário é sobre o sentimento dela como mulher. Nem tudo na vida trata-se de BUNDA querido. Bem… não sei quanto as mulheres que te cercam e te educaram. Questão de valores…

  6. Parabéns Tatiana .. assino embaixo de sua escrita, embora não tenha tanta facilidade com as palavras como você.
    Na minha opinião mulheres como ela que chegou a ponto do mundo ouví-la deveria usar essa oportunidade pra fazer tudo bem diferente.

  7. Li o texto pensando que era um homem e já estava super satisfeita. E quando notei que é uma mulher, uau!!!!
    Aqui é onde me sinto representada!
    Obrigada ☺️

  8. Eu acho que ela tem um papel fundamental inspirando meninas pelo Brasil e pelo mundo, dizendo que mulheres são donas de seus corpos, ou seja, podem fazer o que quiser com eles, e podem ser independentes, criativas, e safas. E a mulher que escreveu o texto deve ensinar aos filhos a terem respeito pelas mulheres, independente de como elas agem. E se nós mulheres nos dividirmos, e apontarmos o dedo para outras mulheres e criticarmos o jeito como são, ou dizermos que não são feministas porque não estão agindo nas regrinhas da sociedade, vamos continuar nos ferrando. Homens criticando a Anitta, eu entendo. Mas mulheres, nunca. Eu posso não dançar como ela dança, e não agir como ela age, mas defendo ela com unhas e dentes, especialmente porque ela inspira meninas a serem livres para serem o que quiserem – e homens vão ter que aprender a lidar – e mulheres machistas também.

    1. Concordo com vc! Esse texto e muito muito machista e retrógrado! Admiro a Anitta como mulher, e a coragem q ela tem! Um homem ser machista no Brasil, porco chauvinista, fazer o que? Mas uma mulher julgando e criticando outra??? E triste!

    2. Confundes liberdade com libertinagem. Sou mulher, sou livre e dona, absoluta, da minha vida; mas trabalhei com dignidade e honra! Uma mulher de verdade jamais necessita de usar o corpo de forma tão vulgar e infame pra ser respeitada! Respeito não se impoe, pois é natural, desde que nosso posicionamento perante o mundo/sociedade seja de dignidade e trabalho honesto! Isso que esta mulher faz não é exemplo de dignidade! É uma vergonha para qq ser humano, para qq pai ou mãe! Jovens que a defendem, buscam o quê???

    3. Realmente o clip eh bem apelativo, mas nada muito diferente do tchan há uns 20 e tantos anos atrás, das milhares de mulheres que rebolaram na boquinha da garrafa com dedinho na boca. Nem da Gretchen, Rita cadilac e tantas outras chacretes. Nem diferente de tantos outros clips da atualidade do reggaton, salsa, zouk e etcs. Então, não vejo problema nenhum. Ja cansei de ver bunda na tv brasileira, desde capa de disco de novela (de quina pra lua) e até de homem (abertura da novela brega e chique). Mais uma bunda rebolativa não faz diferença nenhuma no curriculo extenso da cultura brasileira, mostrar a popinha da bunda todas as manhãs não era apelativo com Xuxa e cia? Anita tem mais é que faturar, ela sabe que vende, sexualidade sempre foi ponto de venda ou vocês foram trazidos pela cegonha. Que Anita ganhe muito dolar e euro. Sucesso!!!

    4. Primeiro que,pelas regras gramaticais não existe “dizermos” e sim “dissermos” e o mais importante de tudo…Que bom ler um artigo de uma mulher que diz que para ser empoderada não precisamos de apelações.Me desculpe quem curte Anitta e sua “música” mas vejo que um país carente em educação encontra eco em uma cultura apelativa, onde a vulgaridade predomina.

  9. Excelente texto. Faço minhas as suas palavras. Total inversão de valores é o que estamos vivendo hoje. Não sou preconceituosa e nem antiquada, mas também não vejo cultura nesse tipo de arte. Sou mãe de um homem e de uma mulher, que eduquei numa outra época, graças à Deus! Mas quando vierem meus netos, o que será deles? Enfim, está muito difícil educar uma criança nos dias de hoje, com tanta má informação e tantos valores torcidos.

  10. Concordo plenamente com os argumentos da Tatiana, que isso sirva também as ditas personalidades das áreas artísticas,que há muito vem usando deste instrumento, colocando as suas vulgaridade a público

  11. Excelente texto! Soy brasileira y tengo 50 años fuera de Brasil. He sentido una verguenza enorme al ver a esa mujer siendo entrevistada en un programa español (el Hormiguero, antena3). Su vocabulário es lo más bajo que he oído en años! Que tristeza!

  12. queria compartilhar só a matéria , mas me envergonho de postar uma foto dessas ,triste onde as meninas ,querem se inspirar ,e os país cegos ,deixando que seus filhos sejam influenciados por esses artistas .

  13. Ótimo texto; porém, discordo que seja válido colocar esse tipo de comportamento na conta do movimento feminista. Vejo muita crítica a pornificacao da cultura pop dentro de grupos feministas sérios. A Anitta se auto-intitular feminista não faz com que seu comportamento seja aprovado por todas as vertentes do movimento. O feminismo é um movimento sério que busca a emancipação das mulheres. Esse feminismo liberal da artista só reflete a capacidade do capitalismo em usurpar de pautas sociais pra lucrar e dar ao patriarcado o que ele quer (acesso irrestrito aos corpos femininos).

  14. Que bom ouvir isso exposto de forma tão boa, e cobrindo todos os ângulos. Um dia desses entrei numa discussão dessas, e a minha posição era igual a da Tatiana, ‘parabéns, mas não obrigada’. Enquanto a maioria ardidamente se gaba e copia esse role model. É uma distorção em muitos países mesmo, e é triste ver como isso afeta valores de ambos sexos, ambições de ambos sexos, e comprometimento em relações, hoje em dia tão pouco duradouras. Valeu Tatiana por expor isso!

  15. A geração da minha mãe não fazia clipe rebolando. Não explorava sua sexualidade. Não se expunha. Era a geração das “recatadas e di lar”.
    Isso não impediu que elas fossem abusadas, espancadas, estupradas, desrespeitadas.
    Se seu filho tá “bugando” (coitado), talvez a abordagem precise ser revista. Se eu ando sem camisa na rua, não to dando licença pra ninguém botar a mão no meu corpo. Pq com uma mulher seria diferente? Se ela quer rebolar a bunda, é uma questão dela. Talvez seu filho precise que vc diga isso mais claramente pra ele.
    Nunca vi textão falando que um cantor homem está se desvalorizando ao cantar que pega, que come, que faz e acontece.
    Não curto o estilo musical. Essa é toda a crítica que me cabe fazer…

  16. Parabéns, Tatiana. Espetacular o teu texto! Ainda bem que existem mulheres como tu que compensam e ajudam a conter a existência das anittas mundo a fora.

  17. O machismo entranhado em cada sílaba desse texto.
    Vulgar é ser machista.
    Às mulheres que concordaram com o texto, meu mais sincero pesar.
    Aos homens, minha risada
    À Anitta, parabéns e sucesso cada vez mais para que todas saibam que somos livres e nossos corpos só pertencem a nós mesmas.

  18. Obrigada Tatiana!!!!!! Você disse tudo o que eu venho dizendo , essa vulgaridade não me representa , aliás ,pelo contrário, é o que a gente está há anos lutando contra! Mulher brasileira não é só bunda! Que bom que vc disse isso, pois quando eu falo , as pessoas me tiram de careta , invejosa ….Não , não tenho inveja ,acho ruim,acho feio,acho bem triste …..

  19. Obrigada Tatiana!!!!!! Há quantos anos a gente tenta mostrar que brasileira não é só bunda…. Mas aí , a bunda ganha ….
    Não me representa!!!!

  20. Só não concordo com ” tratem com mais respeito do que tratavam em gerações anteriores”

    Na minha opinião gerações anteriores nem deixavam a mulher ter opinião.

  21. Li…

    Algumas coisas eu realmente entendi o ponto dela, POREM, a própria Tatiana cai na máxima da síndrome do vira lata ao citar muito sutilmente (só pra não ser taxada), sobre outras artistas internacionais, e não coloca-la em comparação em relação as coisas boas e o talento delas. Será que ela não ouve Rihanna, Beyoncé? Só ver algumas das letras que são beeeeem baixas.

    Citou letra de música que nem é dela e fala sobre inspiração e imitação dos mais jovens. A maldade está em nós, adultos. Uns 20 anos atrás, o “É o Tchan” era muito mais pornografico e estava “tudo certo”. Aliás, nesse caso, tanto o artista, quanto o publico endossava os pequenos, pois era “bonitinho”.

    Outra, nem todas as musicas precisam ser necessariamente politicamente corretas e nem por isso são melhores ou piores, haja vista muitas letras chulas de musicas classicas e aclamadas da MPB.

    Ouvi esses dias na casa de um amigo uma musica que eu costumava dançar quando crianca, na qual o Beto Jamaica canta “…todo mundo remando na piroca do baiano…”. Choquei, né!

    Achei tambem muuuuitooo sensacionalista e na verdade bem feio da parte dela, em associar uma obra áudio visual pop ocidental, um incentivo de atos criminosos lá do oriente, lugar onde esse produto nem é consumido e historicamente (ou culturalmente, sei lá), esses atos nojentos sempre ocorreram.

    Anitta é sim Brasil, é orgulho, é talento, e é um marco na historia da nossa música!

    Anitta também é feminista no sentido de expor a sua verdade – que não é absoluta – e propõe com sua forma de entreter, debates importantes sobre equidade de gênero, e sobre esse tão falado machismo estrutural.

    Quebrou barreiras sobre incentivar as mulheres a não aceitarem qq coisa por carência ou por medo de ficarem sozinhas; que podem ser as protagonistas da sua vida financeira; que “tá tudo bem”, caso queiram fazer qualquer procedimento estético, falar sobre isso numa boa; que através no icônico clipe de “Vai Malandra”, mostrar que ter celulite é a coisa mais feminina do mundo; E que não precisa ser obcecada por ser perfeita, pudica e até hipócrita pra ser aceita, respeitada e ter credibilidade no mercado de trabalho e na sociedade.

    Um rapido exemplo que me surgiu agora: Imaginem se tivéssemos alguma versão feminina do Wesley Safadão? Como seria a recepção do público com esse nome? Ela seria chamada para programas mainstream da TV aberta ou seria contrada para fazer publi de grandes marcas? Tratariam esse nome artistico de forma leve e cômica como fazem com ele? Ou de forma vulgar, baixa, 3°categoria e não merecedora de respeito?

    Acho triste que 90% das vezes que leio um comentário no IG ou alguma crítica negativa sobre qq mulher que se destaque, vem de mulheres.

    Obviamente “Anira” erra também. Já fez coisas de gosto duvidoso como qualquer artista de qualquer segmento, mas é exemplo de várias coisas como: inteligência, pioneirismo, arrojo perspicácia, dedicação, resiliência, foco, seguir seus sonhos, influência, incentivo ao estudo, posicionamento político, ambiental e social.

    Até porque o sucesso verdadeiro é um composto de MUITAS coisas. Não é só voz, ou só bunda, ou só dança, ou “só” qq outra coisa. É uma construção que torna alguém ser a artista #1 no Brasil há quase 10 anos consecutivos e agora, #1 GLOBAL.🥰🥰🥰🥰🥰

  22. Texto excelente!! Faço minhas, as palavras de Tatiana.
    Quem foi contra o texto, é por que segue a linha que existe hoje no mundo: desrespeito! Quem se dá o respeito, não pode aceitar isso.

  23. Excelente Tatiana! Parabéns. Via algo muito errado nisso, não havia identificado até então, mas você tirou o véu: “busca do ‘direito’ das mulheres se vulgarizarem”. Parabéns pela argúcia!

  24. Obrigada por traduzir tudo aquilo que penso e sinto com relação à obra “artística” e empreendedora de Anitta.

    Minha única ressalva é quanto a colocar esse tipo de música/comportamento na conta do movimento feminista. Até mesmo o feminismo mais panfletário, faz de suas manifestações estandartes contra a objetificação do corpo (e da alma) feminina. Permissividade não é feminismo.

    No restante, parabéns pelo texto e lucidez!

  25. Penso que a sra Anitta sabe ganhar dinheiro. Ela não tem potência de voz. Se dependesse unicamente da voz, não faria sucesso. Então faz um clipe onde coloca um homem com uma beleza chamativa e ela quase nua em movimentos sugestivos de sexo e onde suas nádegas são as protagonistas, temos a receita do sucesso. Pra quem gosta desse tipo de performance musical, a voz e a letra ficam em segundo plano. Adele, lady gaga, e tantas outras vozes de verdade precisariam desse artifício? Parabéns Anitta mas não, obrigada!

  26. Parabéns para Seleção Nacional de Futebol por se classificarem a Copa do Mundo. Sabemos que todos lutaram para estarem na lista de convocação, já que há homens engajados e/ou cartolas engajados para atingem esse sucesso comercial. Minha admiração não começa aqui, já terminou na copa de 1998.

    Não consigo gostar de futebol, quando com oito anos jogando com meu pai, defendi uma bola que bateu no peito e me deixou sem ar, fiquei sufocado. Também não consigo bater no mesmo lugar e dizer “nossa que orgulho, eles, brasileiros como eu!” pois não vejo valor no conteúdo que eles produzem, por mais bem sucedidos que sejam. Tampouco consigo comemorar que a Seleção brasileira seja inspiração para meninos e meninas adolescentes de hoje. Pelo contrário, acho que seja um péssimo exemplo a essa geração.

    A partida que dura em média 90min é indecente! Em quanto aqueles homens que correm de um lado para outro e ganham em média para a CBF 30 milhões, e expõem suas pernas e tornos musculares, nas telas e plataformas dos nossos lares, que ficam amplamente expostas a quem quiser conhecê-las no detalhe.

    Não tenho filhos, mas se tivesse, tentaria ensinar-lhe a se valorizar, física e intelectualmente como pratico com meus familiares e amigos, construir respeito e saber ser sensual quando quiser, sem ficar julgando os outros (afinal qualquer pessoa tem o direito de vestir o lhe faz bem, há convenções, mas não proibição, e se sair pelado na rua vai preso pois é lei; tem diferença). Vários jogadores são louvados por pelos seus feitos em campo, mas os que já assassinaram esposas – Bruno; que ocorreram em violência – Garrincha, ou pior estupro – Robinho. Que tipo de exemplo damos quando fizemos vistas grossas em 2022? Ou deixa disso vamos curtir a arte da bola! Isso fere meus ouvidos e alma.
    Poderíamos propor serviços comunitários e investimentos em outros esportes que eles (dirigentes, cartolas) não fazem questão de dar atenção, já que tudo está voltado ao futebol, o que é conflitante já que é comandado por sua maioria de homens. por eles para eles. Expor as violências praticadas pelos seus jogadores é perda de dinheiro, e a torcida e comunidade que resolvam seus problemas. Que exemplo de omissão estamos dando aos nossos?
    Valores são construídos pela sociedade, discutindo e debatendo seja qual tema for. Mães não nascem prontas, homens não se constroem sozinhos, se alguém difere o outro pela cor é que outros expuseram esse pensar; dar um tapa na cara em troca de algo não é moeda de troca; pessoas precisam pensar na dor do outro, ao invés de impor seus valores e colocam um ponto final. Estamos em mudança e precisamos ser adultos para conversar sobre isso, nossa já somos adultos e ainda não conseguimos conversar, mostramos armas para deixar tudo do jeito que está.
    Pago meus impostos e tenho os mesmos direitos e deveres que você. Antes de cuidar da bunda alheia, vamos votar e ser responsáveis por quem elegeremos, ou mais uma vez os “cartolas” vão ganhar as nossas custas e é isso é muito vulgar.
    Não, eu não sou obrigado a nada!

  27. Eu só acho desnecessário no seu texto, e para mim se trata de mais uma tentativa de deslegitimar o movimento feminista. Por pelo menos duas vezes vc fala do movimento feminista como se todo ele fosse encabeçado e representado pela Anitta. Não é isso, jamais foi. Antes as feministas era feias, mal amadas e não gostavam de homens, agora, de acordo com a generalização e referencias que você usa no texto, todas são vulgares, objetificam o corpo da mulher e dão mal exemplo para as meninas e a sociedade. Acho a sua generalização um desserviço para o movimento feminista, que como vc mesma disse, ainda precisa lutar muito pelo direito de existir das mulheres.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
%d blogueiros gostam disto: